«Que teime
este grisalho burgo
com silhueta de alcantis
e torres onde canta o bronze-bronze
em derramar no mundo a febre
da sua gente, e o vigor
da planta que não larga a terra da raiz!
De independência é o seu perfil severo.
Independência os morros de granito.
Cada pedra ferida, cada gesto
- o povo unido é como pedra!»

Francisco da Cunha,
em «Ode ao Porto»

.Últimas Trips

. Vinho do Porto - uma marc...

. Vinho do Porto

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2008

Vinho do Porto - uma marca da cidade

 

 

O Vinho do Porto não é apenas «do Porto». A sua produção vai muito além da cidade que lhe dá o nome. Na verdade, apenas o seu envelhecimento e exportação são feitos a partir da cidade do Porto.

No entanto, apesar da sua produção se localizar na Região Demarcada do Douro, o Vinho do Porto é uma marca da cidade, reconhecida internacionalmente. O segredo para a fama mundial está selado num circuito de produção com séculos de tradição, e a exclusividade deste vinho é um factor que pode fomentar a valorização da cidade do Porto a nível mundial.

 Na promoção do Vinho do Porto no resto do mundo destacam-se os posters promocionais elaborados por vários produtores desde 1900. Pioneiros nesta forma de publicidade, a casa Ramos Pinto e a Sandeman são reconhecidos pelos seus cartazes no mundo inteiro.

 

Ramos Pinto

 

Fundada por Adriano Ramos Pinto em 1880, a Casa Ramos Pinto depressa se fez notar pela sua estratégia de inovação apoiada na modernização dos circuitos de selecção, lotagem e envelhecimento e no especial cuidado que dedicou à embalagem e promoção dos seus vinhos. Hoje, a Casa Ramos Pinto, unida à Casa de Champagne Louis Roederer desde 1990, mantém esta forte tradição de inovação na investigação vitivinícola, nomeadamente no que diz respeito à selecção de castas, métodos de plantação e política de auto-aprovisionamento.

Adriano desenvolveu ainda um especial apreço pela arte em muitas das suas vertentes, entre elas a pintura, a música e a escultura, aplicando-as ao universo Ramos Pinto, criando assim uma das mais vastas colecções de cartazes publicitários do inicio do séc. XX.

 

Sandeman

The House of Sandeman foi fundada em Londres, em 1790, por George Sandeman.. A Sandeman foi das primeiras companhias a rotular e a publicitar os seus vinhos, levando ainda mais longe a sua  garantia de qualidade ao consumidor. O início de 1800’s marca também a internacionalização da Marca Sandeman e os seus vinhos são exportados para diversos países da Europa, América do Norte e do Sul, África e Ásia.
O “Don Sandeman” – com a sua capa negra do estudante português e "sombrero" espanhol – pintado em 1928 por George Massiot Brown, é uma das primeiras imagens de marca criadas no mundo. “The Don”, como é conhecido, faz parte das campanhas publicitárias e dos rótulos da companhia desde 1930, sendo reconhecido mundialmente como símbolo de prestígio e de qualidade. Jovem de mais de 75 anos, o “Don Sandeman” mantém toda a sua mística e atracção, sendo um dos ícones com mais elevado reconhecimento de marca no mundo das bebidas.

 

 

publicado por Trips à moda do porto às 16:39
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2008

Vinho do Porto

A equipa do Trips à moda do Porto visitou, no passado dia 4 de Janeiro, o Museu do Vinho do Porto. Desta visita retirámos importantes informações sobre a história, processo de produção e comercialização deste vinho, que é uma das marcas da cidade do Porto maios internacionalmente conhecidas.

 

O vinho do Porto é um vinho natural e fortificado, produzido exclusivamente a partir de uvas provenientes da região demarcada do Douro, no norte de Portugal a cerca de 100 km a leste do Porto.

A "descoberta" do Vinho do Porto é polémica. Uma das versões, defendida pelos produtores de nacionalidade inglesa, refere que a origem data do século XVII, quando os mercadores britânicos adicionaram brandy ao vinho da região do Douro para evitar que ele azedasse. Mas o processo que caracteriza a obtenção do precioso néctar era já conhecido bem antes do início do comércio com os ingleses. Já na época dos Descobrimentos o vinho era armazenado desta forma para se conservar um máximo de tempo durante as viagens. A diferença fundamental reside na zona de produção e nas castas utilizadas, hoje protegidas. A empresa Croft foi das primeiras a exportar vinho do Porto, seguida por outras empresas inglesas e escocesas.

Fundamentalmente consideram-se três tipos de vinhos do Porto: Branco, Ruby e Tawny.

 

Fotografias da Visita:

 

    

 

    

 

    

 

 

publicado por Trips à moda do porto às 20:15
link do post | comentar | favorito

.pesquisar